Os desafios do trânsito nas cidades grandes

  1. image005

Hoje em dia um dos maiores desafios das grandes cidades é o trânsito. A velocidade em relação ao crescimento das cidades, o mau planejamento, a falta de investimento em infraestrutura e o transporte público está colaborando cada dia que passa para um aumento da circulação de veículos e consequentemente tem agravado o problema de congestionamento em grandes centros urbanos.

Em algumas cidades o horário de rush é o principal problema, normalmente bem cedo, de manhã ou no fim da tarde, porém em outras o trânsito passa a não ter horário, se torna incerto, pois o volume de veículos é elevado em todos os horários.  Portanto algumas soluções para esse problema seria investir em meios de transporte alternativos, mas que muitas vezes são deixados de lado justamente pela falta de recursos necessários ou por projetos defasados.

Diversos lugares adotaram medidas drásticas, por exemplo, Cingapura, um dos lugares de mais concentração de carros no mundo, já limitaram a quantidade de veículos que uma pessoa pode comprar. Para melhorar essa situação, não basta simplesmente colocar quantidade de rodízio nas cidades sem ao menos mudar a qualidade dos transportes públicos, é necessário um aumento nas frotas de ônibus e uma expansão nas linhas de trem e metrô, oferecendo assim uma melhor mobilidade e alternativas ao cidadão. Para se adequar e arrumar uma solução para isso, os municípios vem aderindo à ideia das ciclovias, gerando mais opções para quem prefere deixar o carro em casa ou para aqueles que preferem não usar o transporte público.

O trânsito e todos os problemas causados por ele são assuntos obrigatórios nas ações do poder público, a população deve cobrar maior empenho na solução desses problemas que afetam diretamente a qualidade de vida nas grandes cidades. Uma das soluções que já foram tomadas é a diminuição na velocidade em grandes rodovias, por exemplo, a marginal Tietê em São Paulo, onde a velocidade reduziu bruscamente com o objetivo de correr menos para diminuir os riscos a que estão expostas a vida dos usuários mais vulneráveis, que são os pedestres e os ciclistas.

Posted in:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *